segunda-feira, agosto 20, 2007

RECALL GERAL

O fabricante de todos os seres humanos, está convocando as peças fabricadas, independente da marca ou ano, devido a um grave defeito no componente principal e central do coração, ocorrido nas unidades originais chamadas Adão e Eva, resultando na reprodução dos mesmos em todas as unidades subseqüentes.
Este defeito foi tecnicamente denominado, "Amoralidade Subseqüente Interna" ou como é mais conhecido por PECADO (Peça Enfraquecida Com Anomalias Detectadas no Original), cujo sintoma principal é a perda de julgamento moral.


Outros sintomas:
a. Perda de direção

b. Emissões vocais sórdidas
c. Amnésia da origem
d. Falta de paz e alegria
e. Comportamento egoísta ou violento
f. Depressão ou confusão no componente mental
g. Medo
h. Idolatria

O fabricante, que não é responsável ou culpado por este defeito, fornece conserto e serviço, gratuito, para corrigir o problema PECADO.
O número do telefone da oficina mecânica em sua área é: ORAÇÃO.
Quando estiver conectado, por favor "upload" seu fardo de PECADO pressionando ARREPENDIMENTO. Depois, download JESUS no coração. Não importa o tamanho do defeito PECADO: grande ou pequeno, DEUS o substituirá por:
a. Amor

b. Alegria
c. Paz
d. Minimização do sofrimento
e. Delicadeza
f. Bondade
g. Fé
h. Humildade
i. Temperança

Por favor, veja o manual de instruções, a Bíblia Sagrada, para maiores detalhes.
Aviso: Continuar a operar a unidade humana sem correção, anula a garantia do fabricante, expondo o proprietário a perigos e problemas numerosos demais para uma listagem e a unidade humana será permanentemente recolhida do mercado.
PERIGO!!!!
As unidades humanas que não atenderem a esta convocação terão que ser jogadas na fornalha. O defeito PECADO não poderá entrar no céu porque, caso contrário, o céu fiicará contaminado!!
"Eis que a mão do Senhor não está encolhida, para que não possa salvar; nem surdo o seu ouvido, para que não possa ouvir; mas as vossas iniqüidades fazem separação entre vós e o vosso Deus; e os vossos pecados esconderam o seu rosto de vós, de modo que não vos ouça." (Isaías 59:1-2)


Amavelmente,
Seu Criador


::Desconheço o autor::

quarta-feira, agosto 15, 2007

Deus está contigo, em todos os momentos, você tem dúvidas ?

Deus está contigo, em todos os momentos, você tem dúvidas ?

Isaías 41
10 Não temas, porque eu sou contigo; não te assombres, porque eu sou teu Deus; eu te fortaleço, e te ajudo, e te sustento com a destra da minha justiça.
13 Porque eu, o SENHOR teu Deus, te tomo pela tua mão direita; e te digo: Não temas, eu te ajudo.
----------------------
Salmos 121
1 LEVANTAREI os meus olhos para os montes, de onde vem o meu socorro.
2 O meu socorro vem do SENHOR que fez o céu e a terra.
5 O SENHOR é quem te guarda; o SENHOR é a tua sombra à tua direita.
7 O SENHOR te guardará de todo o mal; guardará a tua alma.
8 O SENHOR guardará a tua entrada e a tua saída, desde agora e para sempre.
----------------
Salmo 9:10 Em ti confiarão os que conhecem o teu nome; porque tu, SENHOR, nunca desamparaste os que te buscam.
Isaías 26:3 Tu conservarás em paz aquele cuja mente está firme em ti; porque ele confia em ti.
-----------------
Salmo 46
1 DEUS é o nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente na angústia.
2 Portanto não temeremos, ainda que a terra se mude, e ainda que os montes se transportem para o meio dos mares.
3 Ainda que as águas rujam e se perturbem, ainda que os montes se abalem pela sua braveza.
-----------
I Pedro 3
12 Porque os olhos do Senhor estão sobre os justos, E os seus ouvidos atentos às suas orações; Mas o rosto do Senhor é contra os que fazem o mal.
13 E qual é aquele que vos fará mal, se fordes zelosos do bem?
----------------
João 14:27 Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; não vo-la dou como o mundo a dá. Não se turbe o vosso coração, nem se atemorize.
João 16:33 Tenho-vos dito isto, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo.
---------------
II Coríntios 4
8 Em tudo somos atribulados, mas não angustiados; perplexos, mas não desanimados.
9 Perseguidos, mas não desamparados; abatidos, mas não destruídos;
----------------
Romanos 8:18
Porque para mim tenho por certo que as aflições deste tempo presente não são para comparar com a glória que em nós há de ser revelada.
-------------------
Romanos 8
35 Quem nos separará do amor de Cristo? A tribulação, ou a angústia, ou a perseguição, ou a fome, ou a nudez, ou o perigo, ou a espada?
37 Mas em todas estas coisas somos mais do que vencedores, por aquele que nos amou.
----------------------
Salmo 73
25 Quem tenho eu no céu senão a ti? e na terra não há quem eu deseje além de ti.
26 A minha carne e o meu coração desfalecem; mas Deus é a fortaleza do meu coração, e a minha porção/herança para sempre.

Relacionei acima apenas uma pequena parte dos textos bíblicos que caracterizam promessas de Deus para aqueles que confiam no seu nome, porque Ele nunca nos desampara. Aflições, dificuldades, preocupações, problemas, provações, lutas, fazem parte do nosso viver, Ele mesmo nos alerta disso. Todos passamos por dificuldades e preocupações, muitas vezes não vemos solução, perdemos a cabeça, tendemos ao desespero e nos sentimos impotentes diante dos problemas que aparecem. Nesta hora, a solução é descansar no Senhor, Ele quer participar da sua vida, quer que contemos a Ele todas as nossas aflições e que procuremos agir dentro de um discernimento vindo do Espírito de Deus, confiante de que a resposta e a solução virão dele. Ele é o nosso Pai e como autêntico Pai de amor, ele cuida dos filhos, acompanha e se interessa em amor por cada um de nós. Ele não está ausente, mas se apresenta como consolo, abrigo, força e refúgio. Você ainda se sente sozinho? Experimente provar um pouco de Deus (Salmo 34.7-8), refugie-se nele. Ele TE CHAMA, "FILHO MEU DA-ME O TEU CORAÇÃO", ELE CHAMA POR TI e te dará a Sua Maravilhosa Paz e o refrigério que tanto necessitamos.

::Joel Guedes::

Estudo sobre a vida de Davi 1

I Samuel 16.1-13

Esse texto nos apresenta o início da história de Davi. O contexto da história nos revela que Saul, até então o rei de Israel, havia sido rejeitado por Deus. A sua rejeição não se deu porque ele era uma pessoa incapaz, ímpia ou perversa, nem tampouco porque ele era simplesmente um pecador. Ele foi rejeitado porque tinha um coração soberbo. Saul jamais se reconhecia errado e não se dobrava diante das evidências do seu próprio erro. Antes, ele sempre buscava se justificar. Samuel, o profeta, durante muito tempo, chorou e pranteou por causa da rejeição de Saul. Era como que se Samuel esperasse uma reconsideração de Deus, para que Ele reconduzisse Saul ao trono. Contudo, diante do choro de Samuel, Deus disse: “Basta!”, e perguntou: “Até quando terás pena de Saul, havendo-o eu rejeitado, para que não reine sobre Israel?” (I Sm 16.1)Deus tinha outros planos para o seu povo, outro pastor para colocar à f! rente do seu rebanho. Por isso, Ele enviou Samuel à cidade de Belém e à família de Jessé. Ao chegar a Belém, Samuel convocou todo o povo para o culto ao Senhor. Ele havia recebido a direção de não apenas ungir o novo rei, mas também de celebrar um culto a Deus juntamente com os moradores de Belém. Quando todos chegaram para participar daquele momento, incluindo Jessé e seus filhos, Samuel imaginou estar diante do novo rei quando viu o primogênito de Jessé.Eliabe era um homem alto e forte, e era um soldado dos exércitos de Israel. Contudo, Samuel foi enganado pelos seus próprios sentidos. Deus não havia escolhido aquele homem nem os outros 6 que o seguiram. Samuel ficou intrigado: se estavam ali todos os filhos de Jessé, e Deus lhe havia afirmado que um dos filhos de Jessé seria ungido rei, o que estava acontecendo? Então, “Samuel perguntou a Jessé: Acabaram-se os teus filhos?” (I Sm 16.11) Apesar de ter Samuel convocado todos os habitantes de Belém, de fato Jessé poss! uía um outro filho que não estava presente: Davi. Ele estava apascentando as ovelhas quando se deu a convocação, e ninguém havia se lembrado de chamá-lo. Mas aquele que tinha sido esquecido por todos não foi esquecido por Deus; ele era o futuro rei de Israel. Ao ver Davi, que era “(...) ruivo, de belos olhos e boa aparência. Disse o Senhor: Levanta-te e unge-o, pois este é ele. Tomou Samuel o chifre do azeite e o ungiu no meio de seus irmãos; e, daquele dia em diante, o Espírito do Senhor se apossou de Davi. Então, Samuel se levantou e foi para Rama.” (I Sm 16.12,13). Esse texto nos mostra que os critérios de Deus são totalmente diferentes dos critérios dos homens. A escolha de Deus não é feita de acordo com os critérios das pessoas. Desde a mais tenra idade, o primogênito do rei era preparado para ocupar o lugar do pai, quando esse viesse a morrer. Ele era educado pelos homens mais sábios, recebia aulas de espada, aprendia a usar o arco e a flecha, tinh! a aulas de montaria, acompanhava o pai nas visitas administrativas, visitava diplomaticamente as cidades, era comandante do exército, aprendia algumas noções de administração e era ensinado a viver na corte. De acordo com esse critério, o próximo rei de Israel deveria ser Jônatas, o primogênito de Saul. O próprio Saul testificou esse entendimento em I Samuel 20.31: “Pois, enquanto o filho de Jessé viver sobre a terra, nem tu estarás seguro, nem seguro o teu reino; pelo que mandas buscá-lo agora, porque deve morrer.” Aos olhos das pessoas, Jônatas se encaixava em todos os critérios estabelecidos.Entretanto, Deus não age segundo os pensamentos das pessoas. Para Deus, não importa se as pessoas estabeleceram que o líder deve ser descendente do último, ter um curso superior, ser inteligente, bonito, rico, bem sucedido nos negócios ou conhecido da população. Está registrado em Isaías 55.8,9: “Porque os meus pensamentos não são os vossos pensamentos, nem os vossos caminh! os, os meus caminhos, diz o Senhor, porque, assim como os céus são mais altos do que a terra, assim são os meus caminhos mais altos do que os vossos caminhos, e os meus pensamentos, mais altos do que os vossos pensamentos.”A escolha de Deus não é feita de acordo com a aparência da pessoa. Em I Samuel 16.6,7, nós lemos: “Sucedeu que, entrando eles, viu a Eliabe e disse consigo: Certamente, está perante o Senhor o seu ungido. Porém o Senhor disse a Samuel: Não atentes para a sua aparência, nem para a sua altura, porque o rejeitei; porque o Senhor não vê como vê o homem. O homem vê o exterior, porém, o Senhor, o coração.” A aparência sempre foi algo extremamente importante para as pessoas. Quando Saul foi escolhido como rei de Israel, a sua aparência chamou a atenção de todos. O texto de I Samuel 10.23,24 registra esse fato. O próprio Samuel, mesmo profeta do Senhor, se inclinou a tomar algumas decisões segundo a aparência, ao colocar os seus olhos em Eliabe! . Sendo assim, como Deus escolhe os seus líderes? A escolha de Deus é feita de acordo com seus próprios critérios. Talvez esse seja o ponto mais difícil para nós, porque não sabemos definir com clareza quais são esses critérios. Eles são totalmente imprevisíveis. Segundo o entendimento das pessoas daquela época, o possível líder de Israel deveria ser Jônatas, porque ele era o filho do rei. Em segundo lugar, o primogênito tinha sempre a primazia por ser a pessoa mais importante em uma casa, depois do pai. Era ele quem herdava a posição de chefe quando o pai falecia. Por fim, pensando nas circunstâncias pelas quais Israel estava passando - lutas, guerras, conquistas de territórios – o mais natural seria imaginar que a escolha de Deus iria recair sobre um soldado, alguém que tivesse conhecimento de guerra, para comandar os exércitos de Israel. Mas Deus frustrou os pensamentos e critérios dos homens escolhendo Davi, o caçula, pastor de ovelhas.Quando Jesus veio ch! amar Natanael para ser discípulo esse, ao saber que Jesus vinha de Nazaré, perguntou: “De Nazaré pode sair alguma coisa boa?” (Jo 1.46) Aos olhos dos homens, Jesus jamais poderia ser o Ungido de Deus. Contudo, Deus, o Pai, já o havia chamado desde a eternidade para ser o Salvador dos homens. Paulo disse, em I Coríntios 1.26-29: “Irmãos, reparai, pois, na vossa vocação; visto que não foram chamados muitos sábios segundo a carne, nem muitos poderosos, nem muitos de nobre nascimento; pelo contrário, Deus escolheu as coisas loucas do mundo para envergonhar os sábios e escolheu as coisas fracas do mundo para envergonhar as fortes; e Deus escolheu as coisas humildes do mundo, e as desprezadas, e aquelas que não são, para reduzir a nada as que são; a fim de que ninguém se vanglorie na presença de Deus.”A escolha de Deus é feita de acordo com o coração da pessoa. Em I Samuel 16.7, lemos: “(...) O homem vê o exterior, porém, o Senhor, o coração.” Ainda! que aos nossos olhos os critérios de Deus sejam imprevisíveis e insondáveis, a Bíblia nos ensina que Deus, preferencialmente, escolhe aqueles que têm um coração que agrade a Ele. A palavra coração, nesse texto e em toda a Bíblia, faz referência à totalidade da vida interior do ser humano. Sem dúvida, há várias coisas que conseguem influenciar uma pessoa a agir de uma determinada maneira. É exatamente isso que Deus enxerga. Ananias e Safira, por exemplo, tiveram uma boa atitude ao dar uma oferta para a igreja; contudo, a motivação do coração deles era errada, e por isso, Deus os rejeitou. Tiago, falando sobre a boa atitude da oração, escreve que a motivação errada impede uma pessoa de receber o seu pedido de oração: “Pedis e não recebeis porque pedis mal, para esbanjardes em vossos prazeres.” (Tg 4.3) Tendo a pessoa o genuíno desejo de glorificar a Deus, de entregar-se a Ele, de ser-lhe fiel e de prestar-lhe obediência, então Deus a olha com preferencial disposição de fazê-la líder.
::Desconheço o autor e fonte::

Olhe para oAlto, Deus é Contigo

"Elevo os meus olhos para os montes; de onde me vem o socorro?" (Salmos 121:1)
Há algum tempo atrás, um jovem marinheiro estava fazendo sua primeira viagem para o alto mar. Cruzando o Atlântico, o navio enfrentou uma pesada tempestade. O marinheiro recebeu ordens para subir e verificar as condições das velas. Enquanto estava subindo, cometeu um erro e olhou para baixo. O movimento do navio combinado com o das ondas deixou-o bastante assustado e ele começou aperder o equilíbrio. Um outro marinheiro, mais velho e experiente, vendo asituação gritou para o jovem: "Olhe para cima, filho! Olhe paracima!" Voltando seu olhar para o alto, o jovem recuperou seu equilíbrio.
É preciso que nós, cristãos, deixemos de andar de cabeça baixa, humilhados esem esperança. Devemos olhar para o alto, em direção ao céu, fonte de nossa salvação. Há vitória em Jesus. Somos vencedores e nossas atitudes devem testificar disso. Como seres humanos que somos, é comum cometermos erros em nossa caminhada diária. E, quando isso acontece, de que maneira reagimos? Frustramo-nos e nos deixamos abater, trancando-nos como se a nossa consciência já nos houvesse condenado ou tratamos de consertá-los, confiando que na próxima acertaremos?Quando nos deixamos dominar pelo fracasso e, cabisbaixos, renunciamos ao direito de novas tentativas, rejeitamos a mão estendida do Senhor e desconsideramos o estímulo que nos deixou ao dizer: "Esforça-te e tem bomânimo... o Senhor teu Deus é contigo." bom ânimo" Nas horas dedificuldades e aflições, a melhor decisão a tomar é olhar para o alto, buscardireção e sabedoria dos céus e confiar que Deus tem a solução para tudo. Se você acha que não há saída para suas lutas, olhe para cima - é por ali quevocê alcançará a sua bênção.
::Miquéias Campos::

A RAPOSA E O LENHADOR

Existia um Lenhador viúvo que acordava às 6 da manhã e trabalhava o dia inteiro cortando lenha, e só parava tarde da noite. Ele tinha um filho lindo, de poucos meses e uma raposa, sua amiga, tratada como bicho de estimação e de sua total confiança. Todos os dias o lenhador ia trabalhar e deixava a raposa cuidando de seu filho. Todas as noites ao retornar do trabalho, a raposa ficava feliz com sua chegada. Os vizinhos do Lenhador alertavam que a raposa era um bicho, um animal selvagem, e portando, não era confiável. Quando ela sentisse fome comeria a criança. O Lenhador sempre retrucando com os vizinhos falava que isso era uma grande bobagem. A raposa era sua amiga e jamais faria isso. Os vizinhos insistiam: - "Lenhador abra os olhos! A Raposa vai comer seu filho." - "Quando sentir fome, comerá seu filho! Um dia o Lenhador muito exausto do trabalho e muito cansadodesses comentários ao chegar em casa viu a raposa sorrindo como sempre e sua boca totalmente ensangüentada ... O lenhador suou frio e sem pensar duas vezes acertou o machado na cabeça da raposa ... Ao entrar no quarto desesperado, encontrou seu filho no berço dormindo tranqüilamente e ao lado do berço uma cobra morta ... O Lenhador com muito remorso enterrou o machado e a raposa juntos. Por isso, se você confia em alguém, não importa o que os outros pensem a respeito, siga sempre o seu caminho e não se deixe influenciar... E principalmente não tome decisões precipitadas...
::Desconheço o Autor::

Aprendendo com a adversidade

Sentimo-nos desafiados frente à morte, especialmente quando esta atinge alguém que, de alguma forma está ligada a nós, ou nos é querida.Embora seja algo esperado por todos, algo que todos temos ciência de que, mais dia, menos dia, vá acontecer, quando o dia chega é doloroso. Por mais que nos sintamos preparados, quando acontece, é difícil, muito difícil agüentar. Sentimo-nos impotentes, pequenos. Percebemos que não temos controle absoluto sobre todas as coisas. Sentimos que há algo que vai além das nossas possibilidades humanas. E, apesar de todo o avanço e arrogância da ciência em querer explicar e resolver tudo, este momento, sem palavras, mostra toda a nossa pequenez.O que fazer nesta hora? Como encará-la? Como não sentir tanta dor?Sabemos o que se sente pela ausência e perda de alguém que nos é caro.Mas, se não podemos mudar o fato, podemos ao menos encará-lo de uma forma diferente: aproveitando para repensar e refletir a nossa própria caminhada - nós os que ficamos - se tem valido a pena, se tem contribuído para alguém, ou para alguma coisa.Constantemente ouvimos, ou pronunciamos, a expressão: "Para morrer, basta estar vivo". Mas, viver, é um mero existir? Apenas o respirar? Será somente uma caminhada para o fim que é comum a todos nós? Se para morrer basta estar vivo, para viver, não basta ter nascido, é preciso algo mais. Momentos como este deve nos levar a pensar em algumas coisas que talvez nos console, ou, ao menos alivie um pouco a dor que arde no peito:a) O nascimento e a morte são uma das únicas coisas que torna igual todos os seres humanos. Independe de posição social, política, econômica, religiosa. Aqui não há distinção de sexo, cor, idade, nacionalidade. As coisas que nos distanciam uns dos outros surgem enquanto em vida, no intervalo. b) É neste instante que percebemos o valor das pessoas. Quantas vezes valorizamos as pessoas quando não as temos mais?c) Todos são importantes para alguém. Por mais vil, desprezado ou desconhecido você seja, sempre haverá alguém para te lamentar. Você pode não ser importante nem reconhecido por todo mundo, mas haverá sempre alguém para quem você é muito importante.d) Nosso choro deve ser pela ausência e perda, não pelo arrependimento de ter feito, ou ter deixado de fazer algo que agora não dá mais para reparar.e) Este momento nos torna mais "religiosos". Nos leva a pensar: "ele foi para um bom lugar". Será que na sua hora, da forma como você tem administrado a sua vida, você irá se encontrar com ele no mesmo "bom lugar?”. f) Você que despreza e não valoriza os outros, vê que o seu princípio e o seu fim é o mesmo que o de qualquer pessoa? Que o que torna diferente as pessoas é a maneira como vivem no intervalo, entre esses dois momentos que chamamos de vida? É nele que deixamos a nossa marca, a nossa lembrança, a nossa contribuição: sejam elas boas, ou más.Não é este um momento de solidariedade? Onde os nobres sentimentos, por vezes enferrujados, afloram? Não é este o momento de querer ser diferente? De querer viver de tal forma que a morte seja apenas a consumação de todas as boas coisas que oferecemos ao mundo?Então, não queira passar pela vida sem deixar a sua contribuição.Queira que as pessoas, de você, tenham boas lembranças. "Sirva para viver, vivendo para servir".

::Jair Souza Leal
autor do livro "4 Homens e Um Segredo"::

A mensagem do arroz sobre a bênção de Deus

Acabara de ler uma mensagem onde o escritor abordava a respeito da benção de Deus na vida daquele que é fiel. Na mensagem, ele fazia a seguinte afirmação: "Nove reais com a bênção de Deus, vale mais do que dez sem a bênção dEle". Matematicamente falando, isto seria impossível, porém, no campo da fé, plenamente compreensível. Mas seria a fé oposta à ciência? Seria a fé irracional? Foi pensando nestas coisas, tentando entendê-las e conciliá-las na mente, que fui chamado por minha esposa para auxiliá-la na cozinha. Precisávamos preparar o almoço.Enquanto a ajudava, passei a lhe observar discretamente preparando o almoço. Notei quando pegou uma pequena xícara como medida. Introduziu-a em uma vasilha maior, cheia de arroz, enchendo a pequena xícara a borda. A seguir, despejou o conteúdo da xícara em uma peneira. Lavou o arroz, tirou o excesso de água e despejou em uma panela. A panela já tinha sido previamente colocada ao fogo. Estava quente, e com um tempero especial ao fundo. Após uma breve torrada nos grãos, ela colocou água quente e tampou a panela. Em alguns instantes o arroz estava pronto. Nesta hora, algo me chamou a atenção. Aqueles grãos amarelados, que no início do processo cobriam apenas o fundo da panela, "milagrosamente" enchia agora toda ela, além de ter ficado branquinho e com um aroma maravilhoso.Assentei-me com ela e as crianças à mesa, e, enquanto degustava uma parte daquele apetitoso manjar, acompanhado de algumas outras guarnições e guloseimas, pensei. Como podia aquela pequena quantidade de arroz ter se transformado em uma grande porção? O milagre era tão visível que, se nesse momento, eu ou a minha esposa, tirássemos o arroz cozido da panela, e experimentássemos colocá-lo de volta na xícara de onde saíra, ela não seria suficiente. Precisaríamos de algumas outras xícaras como aquela.Estupendo, não? Neste momento, entendi de modo claro, por meio deste simples processo de cozer, como funciona a bênção de Deus. Era exatamente a mesma quantidade, porém, a porção de arroz, cru, não se comparava à porção de arroz cozido. Este foi um dos melhores sermões sobre prosperidade que já tive acesso. Uma verdadeira pregação sem palavras sobre como funciona a bênção de Deus. Havia acabado de presenciar uma bela ilustração para a mensagem que acabara de ler. Tão simples, e sem entrar em choque com a matemática, ou com a ciência. Agora sim, sei que faz diferença a bênção de Deus. Portanto, é possível afirmar, que o mesmo dinheiro com a bênção de Deus rende muito mais que sem a bênção dEle. Faça um teste, e verifique por conta própria o resultado das afirmações que fiz.
::Jair Souza Leal
Autor do livro "4 Homens e Um Segredo::

Parábola do dente estragado

Como na música de Chico Buarque, o meu pai era gaúcho, minha esposa e filhos mineiros, eu sou paulista, minha mãe e irmãs pernambucanas, de Caruaru. Nessa cidade, há uma famosa feira. Lembro-me de quando, ainda criança, morando no interior da Bahia, vi meu pai chegar de lá trazendo uma lembrança para a minha mãe. Era uma pequena peça de artesanato em argila. A peça tinha a seguinte cena. Um paciente assentado em uma cadeira de dentista. O dentista com um pé no chão e o outro no peito do paciente. Segurava com as duas mãos um alicate preso no dente do paciente, e puxava. Era muito engraçado observar a cena do dentista tentando arrancar aquele dente. Há alguns anos atrás, no Brasil, a odontologia não era muito evoluída. Os dentistas eram "práticos". Acho que só arrancavam dentes, faziam dentaduras para os banguelas cujos dentes arrancaram e, os melhores, usavam um motorzinho para retirar cáries. Tapavam o buraco feito colando uma massinha. Essa, costumava sair na primeira bala chita que o paciente mastigasse. Em minha igreja havia um destes dentistas. Um belo dia, sentindo uma dor de dente horrível, eu precisei visitá-lo. Sem titubear ele dá o diagnóstico: arrancar ou, obturar. Nesse momento eu me lembrei da dentadura de meu pai, no copo de massa de tomate com água, ao lado da cama, sorridente como o Curinga (aquele inimigo do Batman). Não pretendia usar uma daquelas tão cedo. Se arrancasse o primeiro dente seria só uma questão de tempo até ter perdido todos. Pensar na possibilidade era terrível. Imagine, por exemplo, namorar nessa condição? Assim, mesmo com medo do infernal zunido daquele motorzinho, obturei o dente. Pouco tempo depois à obturação caiu. Não tendo condição para colocar outra, fui curtindo a panelinha no dente. A odontologia evoluiu (pena que os odontólogos herdaram o malfadado nome dos seus antecessores). Eles se tornaram verdadeiros médicos bucais. Neste novo estágio, extrair dente para eles, seria como perder o paciente em uma cirurgia do coração para os cardiologistas. Neste interregno, do meu dente restara somente uns caquinhos pretos que exalava um cheiro horrível. Só podia sorrir com a metade da boca e conversar de forma gutural para não passar vergonha. Fui visitar o odontólogo. Antes do diagnóstico, foi-me solicitado um raio-x. A situação não era boa: teria de fazer um canal. Após algumas sessões, nas quais o habilidoso doutor fez um verdadeiro malabarismo em minha boca, o dente foi reconstituído. Obra digna de um artífice. Agora sim, o dente havia sido tratado desde a raiz. Ficou novinho em folha. O doutor fez a parte que lhe competia, eu precisava fazer a minha: manter o dente limpo e bem escovado. Não pretendia repetir a dose. Ocorre que neste mesmo período, fiquei às voltas com a seguinte questão bíblica. Se Jesus morreu em meu lugar, levou sobre si todas as minhas transgressões. Se, pela fé, eu fui justificado por Deus, porque preciso confessar diariamente meus pecados em busca de perdão? "Justificação é uma declaração de Deus de que Ele cuidou plenamente de nossos pecados, na pessoa do Senhor Jesus Cristo. Incluindo os pecados que já cometemos e os que ainda vamos cometer, tendo-nos imputado à retidão do Senhor Jesus Cristo. Considerando-nos e declarando-nos justos, porque estamos em Cristo." A história do dente ajudou-me a entender a diferença entre a justificação dos pecados (o ato que ocorre uma vez por todas), e o perdão diário (o processo contínuo). O dente estragado representa o pecador. Como um "odontólogo", Deus limpa e trata dos nossos pecados. Nos faz novas criaturas, regenera, restaura e justifica de todos os pecados. Este é um ato único, inteiramente pela graça e independe de quaisquer méritos. Tem como base de justiça o sacrifício vicário de Jesus. A única condição para a justificação é a fé (Romanos 5:1). Metaforicamente falando, que o paciente reconheça a sua condição e vá procurar o "odontólogo" para se tratar. O dente restaurado representa o homem salvo. Precisa ser escovado diariamente para manter saudável. Ainda que sua estrutura interna esteja intacta e perfeita, externamente irá se sujar. A restauração só pode ser feita pelo "odontólogo". A manutenção, deve ser feita pelo dono do dente, que não vai precisar de uma nova cirurgia cada vez que seu dente se sujar - basta escovar. Este evento contém: uma cirurgia; várias escovações. Assim é com quem foi regenerado por Deus. Teve todos os pecados tratados na justificação (o ato), mas precisa manter a sua saúde espiritual, limpar a sujeira que se apega a ele enquanto caminha nesse mundo (o processo). Uma vez justificados, o perdão para as nossas falhas e fracassos diários será para manter um relacionamento de comunhão com Deus. Como expressou Chafer: "Quando ele foi salvo, foi perdoado porque creu, e, sendo salvo, será perdoado porque confessou". Perdoem-me os dentistas e artesãos pela comparação que farei. O "dentista" representado na peça de argila é o diabo. Tudo o que ele sabe fazer é arrancar e destruir. Jesus Cristo é o "odontólogo". Para ele, mesmo a mais trágica situação dispensa esta alternativa. Ele "é longânimo para conosco, não querendo que alguns se percam, senão que todos venham" procurá-lo na clínica (2 Pedro 3:9b). Porque o trabalho do "odontólogo" Filho do homem é salvar o "dente" que tinha sido considerado perdido. (Mateus 18:11) Amigo, você já foi visitar a clínica do doutor Jesus?
::Jair Souza Leal
Autor do livro "4 Homens e Um Segredo"::

terça-feira, agosto 14, 2007

O Código da Vinci: enganoso e perigoso

O livro "O Código Da Vinci", em destaque na lista de best-sellers do New York Times, cativou a atenção de milhões de leitores, motivou um programa especial no horário nobre na ABC News e está para ser lançado como um importante filme de Hollywood em 2005. O livro prende o leitor com uma história excitante de aventura e intriga, fazendo-o acompanhar seus personagens numa louca incursão pela Europa à medida em que procuram indícios da verdadeira identidade de Jesus Cristo.
O problema é que o livro aborda a vida de Jesus de uma maneira completamente antibíblica, ofensiva e estarrecedora para os que nEle crêem. Assim como tantos outros ataques à integridade de Jesus Cristo, O Código Da Vinci declara que Jesus realmente existiu, mas que Ele era meramente humano e não divino. Na realidade, os personagens do livro alegam insultuosamente que Jesus foi casado com Maria Madalena e que teria deixado uma linhagem de descendentes humanos, alguns dos quais estariam vivos hoje.
O enredo deturpado gira em torno de uma série de indícios ocultos nas obras de Leonardo da Vinci, que pintou "Mona Lisa" e "A Última Ceia". O romance apresenta da Vinci como membro de uma sociedade secreta chamada de "Priorado de Sião", fundada em 1099. O livro também liga algumas celebridades como Sir Isaac Newton, Victor Hugo e Claude Debussy à teoria da conspiração de que o priorado teria deliberadamente escondido a "verdade" sobre Jesus e Maria Madalena do resto do mundo durante séculos.
O romance envolve a história de Robert Langdon, um simbologista de Harvard, e uma criptógrafa francesa chamada Sophie Neveu ("nova sabedoria", em francês). Juntos, eles teriam encontrado uma série de vestígios criptografados que revelam os "segredos" do Cristianismo: que Deus seria uma mulher, Jesus teria descendentes e que Maria Madalena seria divina. O livro alega que essas verdades estariam escondidas numa série de documentos secretos chamados de "Documentos do Santo Graal".
Dan Brown tece uma narrativa com grande poder de entretenimento, mas perigosamente blasfema, em O Código Da Vinci. Ele afirma que Maria Madalena seria o Santo Graal (o cálice de Cristo), que ela e Jesus seriam os progenitores da linhagem merovíngia de governantes europeus e que ela estaria sepultada sob a pirâmide invertida de vidro no Louvre, em Paris, onde ainda hoje se poderia sentir emanações de seu espírito divino.
Engano intencional
O romance descreve o Cristianismo como uma gigantesca conspiração baseada numa grande mentira (a divindade de Cristo). Os personagens de Brown sugerem que os apóstolos e pais da igreja seriam nada mais do que opressores patriarcais que teriam suprimido a adoração à "divindade feminina". Na verdade, o livro descreve os Evangelhos do Novo Testamento como produtos humanos de machos chauvinistas anti-feministas que teriam procurado reinventar o Cristianismo para oprimir as mulheres e reprimir a adoração à deusa.
A agenda feminista é ostentosa por todo o romance, alegando que a igreja primitiva, dominada por homens e liderada por Pedro, teria se voltado contra Maria Madalena após a morte de Jesus e provocado sua fuga para a França (a antiga Gália). Então, o imperador Constantino teria convenientemente deificado Jesus a fim de consolidar seu controle sobre o mundo. O livro indica que na votação do Concílio de Nicéia sobre a divindade de Cristo o resultado teria sido apertado. Na realidade, houve 300 votos favoráveis e apenas dois contrários. Dificilmente essa pode ser considerada uma eleição disputada! Mas, definitivamente, a precisão histórica não é o ponto forte do romance.
Essa é apenas uma das muitas distorções deliberadas existentes no livro. Outra envolve os heréticos evangelhos gnósticos escritos no final do século II como sendo os evangelhos "reais". Encontrados em Nag Hammadi no Egito, em 1946, esses mitos gnósticos nunca foram reconhecidos pela igreja primitiva como Escrituras legítimas. O Dr. Albert Mohler, presidente do Seminário Batista do Sul (nos EUA), disse que "as Escrituras do Novo Testamento foram reconhecidas e destacadas devido à sua autoria apostólica e pelo seu conteúdo claramente ortodoxo". Em contrapartida, Mohler afirma que os textos de Nag Hammadi são "facilmente identificáveis como literatura gnóstica distanciada da Igreja".
É verdade que a igreja medieval distorceu as verdades básicas da mensagem simples do Evangelho. Mas foi vários séculos depois da época de Cristo e dos apóstolos que ela acrescentou idéias como a salvação pelas obras, a veneração de santos e a importância de relíquias sagradas, como o chamado "Santo Graal" – o cálice de Cristo. Em O Código Da Vinci o "cálice" é Maria Madalena, mitologizada e sexualizada como se fosse a amante ou esposa de Jesus Cristo.
Distorção diabólica
Em comparação ao livro O Código Da Vinci, o filme "A Última Tentação de Cristo" parece ameno. O romance de Brown acusa o Cristianismo de culpar a mulher pela queda de toda a raça humana. Ele parece esquecer que a história de Adão e Eva é judaica e antecipa o Novo Testamento por muitos séculos. Na realidade, o enredo de O Código Da Vinci é uma combinação de secularismo ostensivo com feminismo hostil.
O livro assevera que o próprio Da Vinci, um cientista brilhante e pintor renascentista, estaria ciente da verdade sobre Maria Madalena e a teria representado como João, sentado próximo a Jesus em sua "A Última Ceia". O romance deixa a impressão de que Maria estaria retratada na pintura de Da Vinci como a esposa de Cristo. Ele também afirma que Pedro estaria fazendo um gesto ameaçador em direção a Maria como se estivesse tentando eliminar a influência feminina da Igreja. Na realidade, de forma nenhuma Maria Madalena aparece no quadro! Os personagens de Brown "lêem" na pintura aquilo que eles querem ver – a feminização do Cristianismo.
Não há nada no registro bíblico sobre a Última Ceia que indique a presença de mulheres nessa refeição. Também não há qualquer indicação nos Evangelhos bíblicos de que os discípulos guardaram o cálice de Cristo, pedaços da cruz ou quaisquer outras relíquias religiosas. Não é o cálice no qual Jesus bebeu que nos salva, tampouco lascas da cruz onde Ele morreu. O sangue que Ele derramou naquela cruz, simbolizado pelo cálice, é a verdadeira base para nossa salvação.
A Bíblia diz: "a quem Deus propôs, no seu sangue, como propiciação, mediante a fé" (Romanos 3.25); "no qual temos a redenção, pelo seu sangue" (Efésios 1.7); "e que, havendo feito a paz pelo sangue da sua cruz" (Colossenses 1.20); "e o sangue de Jesus, seu Filho, nos purifica de todo pecado" (1 João 1.7).
Desafio decisivo
Não tenho idéia de quais são as convicções religiosas de Dan Brown, mas posso dizer-lhes com certeza que não são baseadas em crenças cristãs ortodoxas. Seu romance é fascinante e de grande poder de entretenimento, mas é exatamente esse o problema. Jovens pastores me contam que são bombardeados com perguntas céticas de recém-convertidos que ficam genuinamente perturbados ao lerem o livro, por parecer tão convincente.
O Cristianismo superou tais críticas antes e o fará novamente. A verdadeira história do Evangelho ainda é a maior história que já foi contada! Os ensinamentos de Jesus Cristo sempre foram e sempre serão superiores a qualquer coisa que o mundo venha a oferecer. Ao mesmo tempo, não podemos enfiar nossa cabeça na "areia eclesiástica" e simplesmente desejar que esse tipo de coisa desapareça.
Há respostas reais para as questões levantadas em O Código Da Vinci. Tais desafios à fé devem nos estimular a lidar com essas questões, respondendo as perguntas para satisfazer as mentes honestas e inquiridoras. O que me preocupa é a mentalidade da geração pós-moderna. Talvez a questão real não seja o que o livro contém, mas o fato de que um público biblicamente ignorante o leve realmente a sério.
Em alguns aspectos, O Código Da Vinci é mais uma acusação à nossa geração do que ao autor do livro. Quando estava entrando na adolescência, nos anos 60, eu ficava continuamente chocado pela ingenuidade de meus pais, que acreditavam em tudo que liam no jornal só porque estava escrito ali. Nunca lhes ocorreu que as reportagens e editoriais eram redigidos por pessoas com agendas pessoais e políticas. Eles haviam crescido numa época em que se acreditava naquilo que se lia, não importando quem era o autor. O mesmo é verdadeiro, e até ainda mais, para a televisão e o cinema. Da mesma forma como muitas vezes expliquei essa realidade para a geração de meus pais, advirto a atual geração: não acreditem em tudo que vocês lêem em um romance ou vêem em um filme!
A Bíblia exorta: "Amados, não deis crédito a qualquer espírito; antes, provai os espíritos se procedem de Deus, porque muitos falsos profetas têm saído pelo mundo afora. Nisto reconheceis o Espírito de Deus: todo espírito que confessa que Jesus Cristo veio em carne é de Deus; e todo espírito que não confessa a Jesus não procede de Deus; pelo contrário, este é o espírito do anticristo, a respeito do qual tendes ouvido que vem e, presentemente, já está no mundo" (1 João 4.1-3).


::Por Ed Hindson - Extraído da revista Chamada da Meia-Noite, julho de 2004.
O Dr. Ed Hindson é assessor do reitor da Liberty University em Lynchburg/VA (EUA). ::

Meu jeito espalhafatoso de ser

Eu tenho um jeito espalhafatoso, digo meio que desastrado, chuto cadeiras, mesa, sofá
Piso no pé de alguém, mais o que ultimamente tem me deixado meio chateado é quando pego um ônibus cheio, aí, o problema fica sério!!!
É me desculpe pra lá, me desculpe pra cá, um caos!!
Então pensei! deve ser o meu tênis, (eu sempre compro tênis e sapatos um pouco maior, digo, relativamente maior), então fui todo alegre comprar um tênis no meu número ,(o mais barato diga-se de passagem), pronto! Tava resolvido o meu problema!, (ledo engano),
Por volta das 22:35 voltando da faculdade, passei pelo grande teste, entrei no 362 cheissímo
E pra minha surpresa, saí pisando no pé de todos!
Então meio envergonhado encontrei um lugar lá no fundo, e meio que sem graça disse dentro de mim: pô Senhor, bem que o senhor podia mudar meu jeito espalhafatoso de ser pra não pisar em ninguém!.
No mesmo instante eu percebi que as mínimas coisas na nossa vida, temos que apresentar a Deus, Ele é o Senhor de nossas vidas e nosso ajudador.
Eu fico pensando quantas e quantas pessoas não levam seus pequenos problemas a Deus achando que são meramente bobagens, tentam resolver com suas próprias mãos e esse probleminha acaba virando um problemão.
Às vezes tentamos mudar nosso jeito de ser para não “pisar” e machucar as outras pessoas, achamos que podemos aprender com nós mesmos (ledo engano), só o Senhor pode nos mudar, só Ele tem essa capacidade, então aprendi, e hoje as coisas que as pessoas julgam bobagens eu levo a Deus.
Bom, ainda estou orando pra Jesus mudar meu jeito espalhafatoso de ser portanto ao me ver pela rua cuidado com o pé!!.


:: JORASE SILVA::

Um dia sem sol

Cinco e trinta da manhã, toca meu celular (que na verdade ultimamente só tem esta utilidade), me dizendo que está na hora de ir trabalhar, eu até tento ficar mais um pouquinho, mais o danado é insistente, bom, o jeito é me levantar e como todos os dias me preparar pra longa jornada, tudo como sempre se não fosse o frio!.
Muito frio, muito mesmo, bota frio nisto eu não tinha termômetro mais se tivesse acho que ele estaria marcando 0ºc, (nem tanto), ai pensei bom pelo menos vou me aquecer no sol.
Quando abro a porta do meu quarto esperando o sol cadê!???????, tudo nublado, tempo fechado e eu com frio frustrado!
Então o dia começou a sair, atrasado como eu, e nada de sol, foi clareando, clareando e já era dia.
Então me pus apensar que tem momentos em nossa vida que é exatamente assim “tempo fechado!”, nada dá certo, o problema martela na cabeça parece que não tem solução, o patrão é chato e nós parecemos que vamos explodir. Nem se quer uma luz no fim do túnel pra dizer amém, é ai que muitas das vezes nos lembramos de Deus, e dizemos Pai cadê o senhor que não vê isto?. Deus é igual ao sol, ele pode parecer que não está mais está. Por detrás olhando, clareando, fazendo vir luz aos nossos problemas, apenas esperando que eu e você tenha, a mesma fé de que o sol vai surgir, que ele vai agir em nosso favor, pois ele mais do que ninguém é Pai, e se preocupa conosco até com nossas besteiras acredite!
Então ela vai fazer o sol sobressair sobre tua cabeça como o sol do meio dia.Bem, quanto a mim agora tem um casaco no meu quarto!!


::JORASE SILVA::

ELE

Jesus é simplesmente assim, gracioso, suave como o tocar de uma flauta
e ta bem além do nosso entendimento, que não sei o porque sempre tentamos imaginá-lo, tentamos colocar um limite, um nível ou coisa assim. Ai é que está o problema.pois ao fazer isto limitamos a ação do Senhor em nossa vida, não que seu poder seja limitado, mais não temos fé suficiente para experimentar todo o seu poder.
Jesus é o porto seguro, e só poderemos entender isto quando permitirmos que ele seja., isto é, quando tivermos fé pra isto. parece complicado este negocio de fé.
A grande verdade é que passar por uma luta muda totalmente de figura a situação, é como dizem “falar é fácil”, mais, também não foi fácil pra ele quando teve de encarar uma cruz! Ele foi !Jesus, o amor dele me surpreende a cada dia quando entendo uma pequena parcela dele ,é amor demais pra se entender!, só sei de uma coisa nunca mais vou achar que ele não me ama ou não está me olhando, não, não nunca mais eu caio nesta besteira. O seu amor é infinito e eu não tenho noção do que seja isto! Só sei que é muita coisa! e que ele ta perto de mim sempre e que eu deveria entender isto.
:: JORASE SILVA::

Além das aparências...

... vinha cortando todo o mundo e, quando se aproximou do carro de Antonio, deu-lhe uma tremenda fechada, já que precisava atravessar para a outra pista.Naquela hora, a vontade de Antônio foi de xingá-lo e impedir sua passagem, mas logo pensou: "Coitado! Se ele está tão nervoso e apressado assim... Vai ver que está com um problema sério e precisando chegar logo ao seu destino". Pensando assim, foi diminuindo a marcha e o deixou passar. Chegando em casa, Antônio recebeu a notícia de que seu filho de três anos havia sofrido um acidente e fora levado ao hospital pela sua esposa.Imediatamente seguiu para lá e, quando chegou, sua esposa veio ao seu encontro e o tranqüilizou dizendo: "Graças a Deus está tudo bem, pois o médico chegou a tempo para socorrer nosso filho. Ele já está fora de perigo". Antonio, aliviado, pediu que sua esposa o levasse até o médico para agradecer-lhe. Qual não foi sua surpresa quando percebeu que o médico era aquele senhor apressado para o qual ele havia dado passagem! "Procure ver as pessoas além das aparências". Imagine que por trás de uma atitude, existe uma história, um motivo que leva a pessoa a agir de determinada forma. Pense nisso!
::Anna Maria, colaboradora do Portal Lagoinha.com::

A carta de satanás

"Eu o vi ontem, quando começou suas tarefas diárias. Você levantou-se sem falar com Deus, o dia todo você sequer fez menção de orar. Fez muitas coisas, mas tempo pra Deus nada.. Como eu fiquei feliz! De fato, nem se recordou de agradecer pelo alimento. Você é muito mal agradecido, e é isso que gosto em você.
Também me satisfaz a enorme falsidade que demonstra sempre que se fala sobre seu crescimento cristão, como se para ser de Deus precisasse apenas dizer isso uma vez na vida, e o bom é que você sabe disso, mas esconde isso de você mesmo muito bem... Que perspicácia! O melhor mentiroso é aquele consegue enganar a si mesmo!
Parabéns! Raramente lê a Bíblia, e quando o faz, está muito cansado para isso, não dá importância. É melhor que não leia, mas lendo sem dar valor, já é alguma coisa... Nessa hora eu posso tentar você, lembrando das suas coisas mais importantes pra fazer, atiçando seu cansaço, aumentando tuas preocupações. Como tenho prazer quando você fecha aquela... palavra de Deus... Bah!
Oras muito pouco e freqüentemente ora sem pensar nas palavras que diz. Por qualquer motivo falta ou chega atrasado nas reuniões de oração. Isso mesmo... Pra que falar com Deus? Fale comigo... no Inferno teremos muito que conversar.. Ahaha.
E o que dizer nas suas queixas em cooperar na evangelização? Gosto das tuas desculpas em não querer fazer isso ou aquilo. Tudo isso é útil pra mim... Alguns vão para igreja religiosamente e se preocupam apenas com mais um culto bom...e esquecem de querer Deus na sua essência... obrigado, fico muito feliz com isso....Outros estão sempre pedindo perdão a Deus, mas não conseguem ficar uma semana sem cometer os mesmos pecados....rs....rs....rs.... Não posso descrever minha alegria em ver que em todo este tempo que teoricamente estás seguindo teu Deus, não mudastes teu comportamento.
Tantos anos se passaram e continuas comportando-se como no início, você pensa que não tem nada pra mudar. Você me encanta! Me recordo das piadas sujas que você diz e do modo como ri, da graça que acha nelas. E eu rio de um filho de Deus que participa disso. A verdade é que ambos passamos bem... E as fofocas que contas dos outros, que dizem ser teus irmãos? Me delicio com aquilo... Como você ri das fraquezas deles... Eu também... são todos uns fracos e pobres coitados mesmo! Mas você não... você é como eu... sem defeitos... Gosto quando você usa os outros... você aprende rápido. Tem instinto! Mas a melhor parte é quando depois de conquistar os outros você começa a usá-los e fazer com que eles façam a sua vontade. Eu faço isso sabia? Deve saber, aliás você é mestre nisso... Pensa que aprendeu com quem?
Sou apaixonado pela tua língua felina! Destilas veneno quando falas. Gosto quando destróis as pessoas com teus comentários. Mas o que mais gosto é de ver o teu prazer quando desferes tuas palavras... teus olhos brilham! Dou saltos de alegria quando tu começas a dizer que isso se chama sinceridade... quando dizes que és verdadeiro! Eu sou apaixonado por quem consegue pegar nomes e sentimentos cristãos e inverter em benefícios próprios! Na verdade és orgulhoso, prepotente, auto suficiente e impulsivo... Mas dizes ser apenas verdadeiro! E os outros acreditam...
A música vulgar e de duplo sentido que escutas, me encanta. Como sabe quais são os grupos que gosto de escutar? Também desfruto muito quando difamas e se rebela contra o seu Deus, me sinto extremamente feliz... E quando o vejo dançar esses tipos de movimentos que tanto o fascinam? Como gosto! Certamente quando te divertes de maneira santa, me desilude, mas não há problemas, sempre há outras oportunidades...
Há vezes que me fazes serviços incríveis, quando dá mal exemplos aos filhos e quando permite que percam a inocência, por meio da TV e coisas desse tipo. Amo quando você os manda atender o telefone dizendo pra eles: "Se for fulano diga que não estou..." São tão perceptivos que logo imitam o que vêem...Vão aprender a mentir rapidinho... E como eu sou o Pai da mentira... Te agradeço muito. Logo não serão teus filhos, mas MEUS filhos. Você me agrada muitíssimo, pois são raras às vezes tenho que tentar-te, porque sempre cais por tua conta...
Você busca os momentos propícios, se expõe a situações perigosas... Seguindo-me assim certamente terás um lugar aqui comigo no Inferno! Já ia esquecendo, obrigado por assistir tanto a televisão....muito obrigado mesmo......mesmo.......rsrsrs. Agora... Se realmente me amas... me faças um favorzinho... Não mostre essa carta a ninguém!! Combinado? Enfim, não se preocupe, no dia da sua morte ou da vinda do Senhor, você vai ficar comigo, pois você não consegue mudar....
Atenciosamente, Satanás".

Esta carta é terrível e infelizmente é real. Mas se nos arrependermos, Ele, o Senhor, Criador e Resgatador, nos recebe com todo amor.