quarta-feira, abril 25, 2007

Voz, Relacionamento e Poder

"E disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem e semelhança, conforme a nossa semelhança. E domine sobre os peixes do mar, sobre as aves do céu, sobre os animais domésticos, e sobre toda a terra, e sobre todo réptil que se arrasta sobre a terra." (Gn. 1.26)
A síndrome do Pânico sendo olhada pelo lado espiritual.
"Se o que forma a doença está dentro de nós, também a cura pode estar no mesmo lugar"
Meg Creighton
De forma alguma estou dizendo que o transtorno de pânico, síndrome do pânico é uma doença satânica, mas quando observamos uma pessoa com transtorno de pânico, uma das primeiras coisas que acontece é que ela perde a VOZ pela fadiga respiratória pelo medo do medo. Consequentemente a pessoa deixa de ir a certos lugares, vai pouco a pouco restringindo o seu RELACIONAMENTO com outras pessoas por ficar complexada pelas crises ou por medo das pessoas. A seguir ela perde o PODER de decidir sobre sua vida, seus negócios; pois tudo começa a lhe causar medo, falta-lhe autoridade e poder para para conquistas e para vencer obstáculos. Então a pessoa vai se isolando do mundo, sua vida entra em um ostracismo.
Podemos facilmente compreender que satanás aproveita da situação debilitada da pessoa com transtorno de pânico e trabalha terrivelmente no seu emocional, causando um desastre na vida da pessoa que não conhece o Poder de Deus e sofre com as forças malígnas.
Portanto, o portador de trasntorno de pânico, deve se esforçar para manter em si os aspectos da imagem de Deus. Deve FALAR, pedir ajuda, se tratar. Se RELACIONAR com outras pessoas saudáveis, não ceder ao desânimo, usar o "PODER da mente para resolver sua vida, sem depender de ninguém", viver sempre em comunhão com Deus. Fazer um tratamewnto sério com psicólogo e/ou psiquiatra.
Usar sempre estas três coisasque Deus deixou para nós e e m nós. VOZ, RELACIONAMENTO e PODER.
Finalmente o transtorno de pânico é uma doença física que pode comprometer o espiritual, quando nós não tomamos os cuidados necessários.
Autor :: "Daiane Handt Langberg" ::

terça-feira, abril 24, 2007

A diferença entre o seguidor e o discípulo

O seguidor espera pães e peixe; o discípulo é um pescador.
O seguidor luta por crescer; o discípulo luta por reproduzir-se.
O seguidor se ganha; o discípulo se faz.
O seguidor gosta do afago; o discípulo gosta do serviço e do sacrifício.
O seguidor entrega parte dos seus desejos; o discípulo entrega sua vida.
O seguidor ouve a palavra e guarda no coração; o discípulo leva esta palavra aos aflitos.
O seguidor espera que lhe apontem a tarefa; o seguidor é solicito em tomar a responsabilidade.
O seguidor quase sempre murmura e reclama; o discípulo obedece e nega a si mesmo.
O seguidor reclama que o visitem; o discípulo visita.
O seguidor conhece a Bíblia de capa a capa; o discípulo conhece e pratica o que sabe.
O seguidor pratica a caridade; o discípulo pratica o mais puro amor, o amor de Deus.
O seguidor sonha com a igreja ideal; o discípulo se entrega para fazer a igreja real.
O seguidor diz: Que bonito! o discípulo diz: Ei-me aqui.
O seguidor aponta o dedo e mostra as pessoas para Deus; o discípulo mostra Deus às pessoas.
O seguidor espera por um avivamento na igreja; o discípulo é parte do avivamento.
O seguidor é condicionado pelas circunstâncias; o discípulo as aproveita para exercitar sua fé.
O seguidor vale porque soma; o discípulo vale porque multiplica.
O seguidor é importante; o discipulo indispensável.

:: Deconheço o autor ::